Anonim

Pernod Ricard, fornecedor da marca de vodka Absolut, é o último grupo a ser acusado de comercialização irresponsável de produtos, por meio de shows envolvendo jovens artistas como os Jonas Brothers. A própria empresa rejeita as alegações.

Preocupações semelhantes também foram levantadas, porém, com relação à decisão relatada pela Associação Nacional de Basquete dos EUA (NBA) de considerar permitir promoções de bebidas espirituosas em seus jogos após uma proibição de 18 anos.

Repressão global

Em meio a uma repressão global mais ampla à promoção do álcool, destiladores, cervejeiros e outros fabricantes de bebidas na Escócia anunciaram na semana passada que estariam alterando seu próprio patrocínio e práticas publicitárias relacionadas a equipes esportivas e grandes eventos.

As diretrizes pedem às empresas que não apoiem equipes, marcas ou até celebridades que supostamente atraem consumidores com menos de 18 anos de idade, de acordo com o governo escocês.

No entanto, a batalha entre a indústria de bebidas e os cães de guarda e outras organizações de suas práticas continua acirrada.

Preocupações Grammy

No mais recente desenvolvimento desta semana, um grupo de defesa com sede nos EUA, o Centro de Ciência de Interesse Público (CSPI), atacou Pernod Ricard por alegações de que havia demonstrado 'mau julgamento' e 'ganância' em sua última campanha publicitária.

O grupo disse estar consternado que a empresa e a emissora CBS concordaram em exibir o novo anúncio no horário nobre da vodca Absolut durante o programa televisivo do Grammy no domingo.

As objeções se concentravam no fato de que Miley Cyrus, de 16 anos, e outros atos sob a idade legal para beber, como Taylor Swift, de 19 anos, se apresentaram como parte do programa que os anúncios acompanharam.

"Considerando a magnitude dos problemas com o álcool entre os jovens, precisamos de menos publicidade de todas as bebidas alcoólicas, e não mais", afirmou o CSPI.

Resposta Pernod